Treinamento Funcional

A funcionalidade esteve presente em todos os momentos da evolução humana. O homem sempre precisou desempenhar as tarefas do dia-a-dia, garantindo assim a sobrevivência em situações muitas vezes adversas. Com a evolução tecnológica, a facilidade e o conforto para a realização de ações que antes eram essencialmente físicas tornaram o homem menos funcional. O CORE 360° Treinamento Funcional tem como objetivo resgatar, através de um programa de treinamento individualizado e específico, a capacidade funcional do homem moderno, independente de seu nível de condição física e das atividades que ele desenvolve.

Entende-se por CORE o centro de produção de força, geração de estabilidade e absorção de impacto do corpo. Essas ações são realizadas em 360° quando estamos em movimento. Esses dois termos básicos relacionados ao treinamento Funcional dão nome a metodologia de aplicação desse conceito, utilizada pela OXXI ACADEMIA.

Usando exercícios que se relacionam com a atividade específica do indivíduo e que transferem seus ganhos de forma efetiva para o seu dia-a-dia, o CORE360° torna a performance (fator até então restrito ao treinamento de atletas de alto nível) acessível a qualquer indivíduo. O CORE360° condiciona de forma plena todas as capacidades físicas do indivíduo. Qualidades como força, velocidade, equilíbrio, coordenação, flexibilidade e resistência são integradas de forma a proporcionar ganhos significativos de performance para o indivíduo em sua atividade específica.

“A função sempre deve vir antes da forma” diz uma das principais “leis” do design moderno, elaborada em 1896 por Louis Henri Sullivan. A frase descreve como o CORE360° enxerga a prescrição dos programas de treinamento. A questão estética é considerada como conseqüência do treinamento e não como seu objetivo final. Ao ser submetido a diferentes “experiências físicas” o indivíduo – desde atletas de elite até o idoso, desde jovem até dona-de-casa – torna-se mais apto a desenvolver com proficiência qualquer atividade em que esteja envolvido. Todos os perfis de usuários beneficiam-se do modelo do CORE360°, que se adaptam as necessidades do indivíduo e não força o processo inverso.

“Músculos são ferramentas, não troféus” Laird Hamilton.

O treino funcional, antes somente utilizado na área de reabilitação, vem inovando a performance de atletas profissionais, amadores e não-atletas das academias de vanguarda, de tal modo que, tem despertado o interesse por parte de alunos e professores de educação física.

Geralmente, todo conceito “novo” que surge na área da atividade física, devido ao grande marketing que se tem, tende a virar uma “febre”, fazendo com que as pessoas deixem de lado algumas outras atividades que também são eficientes para determinados fins.

Nenhuma modalidade de atividade física é completa por si só, portanto, sempre requer a sua associação com outras atividades que a completem. O functional tranining (treinamento funcional) vem para somar-se aos demais, preenchendo uma lacuna, possibilitando assim um desenvolvimento corporal mais homogêneo (completo e harmonioso).

O treinamento funcional é caracterizado pela semelhança do trabalho (exercício) às situações cotidianas. As situações do cotidiano, por muitas vezes, requerem o emprego de movimento e gestos motores que exigem o trabalho de diversos grupos musculares ao mesmo tempo. Sendo assim, a proposta dos exercícios funcionais é justamente a de promover ações musculares conjuntas e simultâneas, proporcionando um trabalho corporal globalizado.

Para tanto, o uso da instabilidade se mostra como uma ferramenta interessante e indispensável para a finalidade citada acima. Para confirmar essa idéia, diversos estudos analisam os possíveis efeitos benéficos dos exercícios com instabilidade.

Normalmente, os estudos apresentam a instabilidade em duas formas: instabilidade local, ou aquela localizada sobre uma ou algumas articulações específicas; instabilidade global, ou de corpo todo, localizada sob a sabe de apoio do corpo.

A maioria dos estudos associa o emprego da instabilidade com boas adaptações coordenativas, melhora da propriocepção e manutenção do equilíbrio. Esses benefícios já servem para justificar sua aplicação a qualquer tipo de público, mas, em especial, para idosos e atletas.

Além desses efeitos positivos, os maiores benefícios do treinamento funcional estão relacionados ao trabalho da musculatura profunda do core, sendo que a instabilidade é um dos principais instrumentos para ativação desta musculatura. Por músculos do core, entendemos aqueles localizados no centro do corpo, compreendendo a região lombar, abdominal e pélvica ou, simplesmente, a “musculatura postural”. O fortalecimento dessas estruturas é de fundamental importância para a saúde da coluna vertebral, como também, da saúde de um modo geral. Para que o trabalho seja eficiente no que se propõe, alguns equipamentos podem ser utilizados com bolas de diversos tamanhos (physioballs), plataformas de instabilidade, plataformas vibratórias, entre outros. Porém, excelentes trabalhos podem ser desenvolvidos com poucos recursos materiais, desde que se utilize conhecimento técnico e criatividade. Vale lembrar que, com o uso da instabilidade, pode-se perder um pouco a independência na realização do exercício, o que levaria à necessidade de um acompanhamento profissional mais individualizado. E tratando-se de atividade física, essa supervisão deve ser sempre feita por um profissional de Educação Física devidamente registrado.

Fonte: Fitness clip by Body Systems
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s