Se eu tivesse que escolher apenas 1 suplemento para comprar.. Qual seria?

Por inúmeras razões muitas pessoas me fazem esta pergunta frequentemente. As vezes porque não querem gastar muito dinheiro, outras vezes porque querem “limpar”o organismo e outras vezes por filosofia de vida mesmo (querem um programa menos “artificial”). Enfim, é um assunto de grande interesse e, por isso,  hoje vou expor minha opinião sobre qual seria um suplemento bastante importante, eu diria, se o seu objetivo é a hipertrofia muscular (exercícios resistidos) ou mesmo amelhora na performance durante uma competição (exercícios de endurance).

Estudando todos os mecanismos de recuperação posso dizer que a Leucina seria um aminoácido fundamental para esta função e, por isso, apostaria nela na grande maioria dos casos. Como existem milhões de objetivos e pessoas diferentes aqui, é óbvio que não posso dizer que seja algo que sirva para todos. Como falo sempre, a individualidade de cada um deve sempre ser respeitada acima de tudo. Mas vou expor alguns motivos pelos quais “defendo” esta suplementação.

Já sabemos há algum tempo da sua importância em estimular a via M-Tor, que é bastante importante para a hipertrofia muscular. Dependendo da forma ingerida, se o seu objetivo é o aumento de massa muscular, seria importante já ter este aminoácido disponível no sangue logo no pós treino. Desta forma, talvez seja interessante ingerir num momento pré treino para que ao final da atividade a mesma já tenha sido absorvida.

Segundo estudo feito por Stuart Phillips, a leucina também seria o aminoácido mais oxidado durante uma atividade de endurance. Neste estudo,  ele mostra que mesmo a oxidação de aminoácidos contribuindo com apenas 2% da energia durante 2h de treino de corrida, na prática isso representaria de 8 a 10g de aminoácidos sendo de  40 a 60% de leucina. Além de repor a leucina oxidada,  uma suplementação seria importante também para a recuperação pós treino.

Podemos ter este aminoácido através da suplementação dela de forma isolada ou em alimentos. Vou listar abaixo as principais fontes com a respectivas quantidade em gramas de leucina por 100g do alimento:

  • Whey protein isolado – 14,1g
  • Caseína isolada – 10,0g
  • Proteína de ovo isolada – 9,0g
  • Proteína de soja isolada – 8,0g
  • Grão de soja – 2,97g
  • Lentilha – 2,03g
  • Salmão – 1,62g
  • Leite desnatado – 0,29g

OBS: talvez a caseína não seja um alimento tão ruim assim.. Vamos avaliar melhor as informações que vemos “soltas” por aí, mas isso seria tema para um próximo texto..

Post via FrangoComBatataDoce. Direitos reservados aos autores, publicação com intuito de divulgação.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s