Cansado de comer carne vermelha? Não aguenta mais comer frango? Ah, não… Você não aguenta mais comer ovos diariamente. Ou peixe… Quem aguenta comer mais peixe, né? E se a gente apresentasse uma nova fonte de proteína que oferece tantos nutrientes quanto carne vermelha, frango ou laticínios, sem o impacto ambiental causado ou intolerâncias? Então, essa maravilha existe, mas você vai fazer uma carinha de nojo quando souber exatamente do que se trata, afinal é a proteína de grilo.
Calma, calma… Não é hora de surfar. Comer insetos não é um conceito novo ou algo que estão fazendo você colocar goela abaixo. 80% da população global, mais de 2 bilhões de pessoas, já comem mais de 1.900 tipos diferentes de insetos. Mas essa é uma realidade do oriente e não necessariamente do ocidente. É uma prática tão comum no leste que a ONU lançou um estudo de 200 páginas em 2013 apresentando a ideia para as pessoas e incentivando seu consumo. E você deve estar achando que isso é simplesmente mais uma desculpa para que você consuma um produto novo. O que realmente pode ser, mas acima disso, existe uma razão muito maior: a sustentabilidade.
Grilos causam pouco impacto ambiental em sua cultura. É de conhecimento comum que os grandes rebanhos de gado estão lentamente (ou nem tanto) destruindo o planeta. Espera-se que a demanda por alimentos chegue a dobrar até o ano de 2050, some isso ao fato do aquecimento global só se agravar. Buscar novas fontes de alimentos que sejam equivalentes e que tenham impacto minimizado ao meio ambiente é o objetivo das empresas alimentícias de hoje.
Os benefícios ao meio ambiente são vários. Mas quais os benefícios da proteína de grilo em nossa dieta? Acima de tudo, grilos são excepcionalmente ricos em proteína. Eles contém todos os 9 aminoácidos essenciais e 20,5g de proteína a cada 100g — que se iguala ao nível protéico de frango e salmão, e 6g a mais do que ovos.
Prevendo que a questão do sabor seja superada, isso já faz com que a proteína de grilo seja uma fonte de proteína viável.  E ao contrário de carne bovina e laticínios, a proteína de grilo é essencialmente natural e não tem que ser ajustada. Neste caso, não existe proteína do gado alimentado em pasto ou gado alimentado por milho. Sem carne geneticamente modificada ou impactos hormonais, como no caso da proteína de soja. E alergias, intolerância à lactose e outros problemas digestivos são completamente irrelevantes.
Bem, a menos que você seja alérgico a crustáceos. Grilos são artrópodes —assim como camarões e caranguejos — e pode causar reações semelhantes.
Mais informações sobre proteína de grilo, você pode encontrar em sites de produtores ou no link do LeantiUp, aqui
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s